CASES

Desafio de comunicação no coração da Amazônia rende prêmio Jatobá 2018

Elaboramos um programa de relacionamento inovador, sensível à realidade local das comunidades indígenas que cercam a Companhia Hidrelétrica Teles Pires (AM). Nosso Programa de Interação e Comunicação Social foi responsável pela retomada do diálogo entre a usina, aldeias, Funai, Ibama e opinião pública. Este case recebeu o Prêmio Jatobá 2018, que mede excelência e inovação em Relações Públicas.

A hidrelétrica está situada no Rio Teles Pires, no coração da floresta amazônica. Às margens do rio, estão 14 aldeias indígenas das etnias Apiaká, Munduruku e Kayabi, cujo acesso é limitado por vias fluviais. Durante a implementação do empreendimento, instaurou-se uma crise por conta da dificuldade de comunicação entre empreendimento, aldeias e órgõs públicos. Neste contexto, começamos a atuar, a partir de 2017, na implementação do Programa de Comunicação Social para rever todo o processo de relacionamento e avançar na retomada de um diálogo que promovesse confiança e credibilidade.

Primeiro, vencemos o grande desafio logístico para chegar às aldeias – quatro horas de carro por estradas, em sua maioria, não pavimentadas, seguidas de mais 12 horas de barco até a última aldeia (Mayrowi), em um barco de pequeno porte pilotado pelos indígenas. Em seguida, elaboramos um diagnóstico de comunicação nas 14 aldeias contempladas. Foram realizadas mais de 60 entrevistas que serviram de base para elaborarmos o Plano de Ação, que foi aprovado pela Funai, sem ressalvas, em 2018. Inovamos ao incluir em nossa equipe a contratação de três indígenas (um de cada etnia) como agentes de comunicação.

Apesar dos desafios logísticos e culturais, criamos uma via de diálogo permanentemente aberta, por meio de comunicadores indígenas e não-indígenas, que dão suporte à criação de soluções coletivas eficazes, respeitando sempre a cultura, a organização social, o dia a dia das aldeias e as tradições indígenas.

Este trabalho recebeu o Prêmio Jatobá 2018 na categoria Projeto Especial Agência Boutique.

Atuamos no reconhecimento de comunidade quilombola

A comunidade Feital, localizada em Magé (RJ), foi reconhecida, em 2018, como remanescente de quilombo pela Fundação Cultural Palmares. A Print Comunicação deu suporte a esse processo de autorreconhecimento, por meio das atividades realizadas no local durante o Programa de Educação Ambiental e o Plano de Acompanhamento das Interferências a Atividade de Coleta Artesanal do Sistema Dutoviário do Comperj.

Realizamos oficinas de fotografia e filmagem junto à comunidade para registro dos pontos históricas e coleta de depoimentos. Promovemos rodas de conversa, inclusive com a participação de uma antropóloga, que elaborou um relatório etnográfico. Todo esse material foi consolidado pela nossa equipe e anexado à documentação que serviu de base para emissão da Certidão de Autodefinição, emitida em 9/11/2018.

Nossas atividades periódicas na comunidade também tiveram como objetivo contribuir para a consolidação e a sustentabilidade desse antigo quilombo, que hoje abriga mais de 30 famílias, boa parte delas vivendo da coleta de caranguejo. Apoiamos a criação de uma associação comunitária quilombola no local e fomentamos a criação de uma rede de parcerias, envolvendo organizações públicas e não governamentais, além de outros quilombos. Juntos, eles vão continuar, mesmo após o fim do programa, fortalecendo a tradição de Feital.

Educação ambiental pelas Linhas de Transmissão de Furnas

Desde 2014, realizamos programas de Comunicação Social e de Educação Ambiental em áreas de influência das usinas hidrelétricas e linhas de transmissão de Furnas. Nossa missão é promover o diálogo entre empresa e seus públicos de interesse, entre eles, órgãos governamentais, ambientais, ONGs e, principalmente, as comunidades impactadas pelo empreendimento.

Atuamos em cinco programas:
(Clique para ver os detalhes!)

1) Linha de Transmissão 138 kV Anta-Simplício-Rocha Leão

Durante cinco anos, executamos o Programa de Comunicação Social neste linha de transmissão, que abrange nove municípios entre Rio de Janeiro e Minas Gerais. Realizamos campanhas voltadas para os proprietários rurais, seus familiares e funcionários, assim como representantes de associações representativas e comércio local.

Destaque para as atividades lúdicas desenvolvidas nas escolas desses municípios com o objetivo de reforçar os conceitos importantes sobre a convivência com a linha de transmissão de energia. Mais de 15 mil estudantes participaram das 380 atividades em 24 escolas no período de cinco anos, o que resultou em uma divulgação significativa das mensagens de convivência e segurança junto à comunidade escolar, incluindo pais e profissionais de educação da região.

2) Aproveitamento Hidrelétrico de Simplício

Realizamos cerca de 9 mil atendimentos por meio do Programa de Comunicação Social do Aproveitamento Hidrelétrico de Simplício, entre 2015 e 2018. Foram cinco campanhas que abordaram segurança das barragens, prevenção às queimadas, conscientização sobre o uso da água e proteção das Áreas de Preservação Permanente. Uma das campanhas teve como desdobramento o plantio de mudas nativas da Mata Atlântica na região do entorno.

3) Usina Hidrelétrica de Itumbiara

Na fronteira entre o Triângulo Mineiro e o Centro-Oeste, atuamos por dois anos com o Programa de Comunicação Social da Usina Hidrelétrica de Itumbiara. Foi implantado um canal de comunicação entre Furnas e a população da área de influência em 16 municípios dos estados de Goiás e Minas Gerais. (Precisamos encontrar o relatório no google drive, com números desse programa)

4) Usina Hidrelétrica de Corumbá

Desenvolvemos o Programa de Assistência Social, Educação Ambiental e Comunicação Social da Usina Hidrelétrica de Corumbá, que abrange os municípios de Caldas Novas, Corumbaíba, Ipameri, Pires do Rio e Santa Cruz de Goiás, todos no estado de Goiás. Realizamos diagnósticos socioeconômicos desses municípios e temos como planejamento levantar o cenário turístico da região para promover uma campanha de turismo sustentável.

Dentre as ações de 2018, destacamos a cartilha elaborada de forma lúdica sobre as “Áreas de Preservação Permanente”. Foram distribuídas mais de mil cartilhas aos proprietários do entorno do reservatório, aos órgãos públicos dos municípios da área de influência e também nas escolas, em campanha realizada entre novembro e dezembro de 2018.

5) Linha de Transmissão 500 kV Norte-Sul I

A Interligação Norte-Sul se dá por meio de uma linha de transmissão em 500 kV que conecta as subestações de Serra da Mesa - Gurupi - Miracema, atravessando 19 municípios nos estados de Goiás e Tocantins, nos quais foram desenvolvidas as ações de Comunicação Social, entre 2016 e 2017. Visitamos as 325 propriedades que atravessam os 500 quilômetros de extensão da linha de transmissão, realizando duas campanhas informativas, que resultaram em mais de 600 contatos em que foram reforçadas mensagens de boa convivência com linhas de transmissão, restrições de uso da faixa de servidão e demais cuidados necessários com apoio de uma revista em quadrinhos.

Treinamos porta-vozes no Brasil e no exterior

Gestores enfrentam em seu dia a dia o desafio constante de se comunicar com seus públicos de interesse. A Print Comunicação tem vasta experiência em treinamento de porta-vozes para gestores das maiores empresas do país.

Nos últimos anos, treinamos mais de 3 mil executivos do alto escalão de grandes corporações no Brasil e no exterior, desenvolvendo a aptidão para audiência pública, liderança, relacionamento com a imprensa e com público interno.

Em 2018, realizamos o Programa Agentes de Relacionamento Petrobras, em que foram treinados mais de 800 porta-vozes da companhia. O objetivo é criar uma rede de interlocutores capazes de transmitir de forma positiva as diretrizes da empresa ao público interno e promover aproximação entre os funcionários.

Rede Socioambiental na coleta de caranguejo

Realizamos 512 horas de atividades que contribuíram conscientização ambiental e fortalecimento de cidadania participativa em dez comunidades localizadas entre os municípios de Magé, Guapimirim e Baixada Fluminense. As ações, realizadas de outubro de 2017 a janeiro de 2019, foram pensadas de acordo com a realidade de cada comunidade e fazem parte do Programa de Educação Ambiental e do Plano de Acompanhamento das Interferências na Atividade de Coleta Artesanal do Sistema Dutoviário do Comperj, sendo acompanhadas pelo Instituto Estadual do Ambiental do Rio de Janeiro (Inea).

Na comunidade de Suruí, como havia interferência do empreendimento na coleta de caranguejo, trabalhamos aspectos relacionados à importância da participação dos pescadores/catadores na gestão de projetos socioambientais. Promovemos oficinas de gestão de projetos, de participação e organização comunitária e rodas de conversa sobre a realidade da pesca artesanal e a cata de caranguejo na Baía de Guanabara.

As ações de articulação de rede socioambiental, como capacitação de professores, oficinas, palestras, exibição de documentários e rodas de conversa, atenderam mais de 1.800 participantes em cada uma das dez comunidades da área de brangência direta do empreendimento.

Agroserra: valorização da agricultura local

Em 2015 nasceu o festival Agroserra, com o objetivo de promover produtores e empreendedores locais das regiões de Secretário e Sebollas no estado do Rio de Janeorp. A primeira edição atraiu mais de 2 mil visitantes, que motivou a realização do evento nos anos consecutivos.

Promovemos atividades que envolveram gastronomia, artesanato e oficinas educativas, sempre valorizando a cultura local. Em 2017, o festival desceu a serra e realizou três edições: duas no Downtown, no Rio de Janeiro, e uma no Campo de São Bento, em Niterói. Também realizamos uma edição no município de Paty do Alferes e em Petrópolis. A equipe da Print Comunicação é responsável pela gestão das mídias sociais do Agrossera, foco em dar visibilidade às ações de sustentsbilidade.